© 2018 by Gabrielle Nobili 

Sobre morar fora

February 21, 2018

 

Eu nunca morei fora. Então, vocês já devem estar se questionando, por que eu estou ousando escrever sobre isso? É bem simples. Uma das pessoas que eu mais amo na vida mora fora, minha irmã. Como psicóloga e como irmã mesmo, gosto muito de ouvir todos os perrengues e desconfortos pelos quais ela passa, como também tudo de bom que acontece. Eu nunca quis morar fora, não porque eu não ache legal, mas por falta de coragem mesmo. Abandonar a zona de conforto é um grande desafio, alguns têm mais facilidade (não quer dizer que não sofram da sua maneira), já outros possuem mais relutância. No caso da minha irmã a facilidade de deixar tudo para trás sempre prevaleceu. Quando ela botava na cabeça que queria se aventurar em mais um intercâmbio, nada tirava isso de sua cabeça. Ela dava um jeito de juntar dinheiro, arranjar visto, trabalho, amigos, moradia.. enfim, minha irmã é o ditado vivo ‘quem quer vai atrás’. Mas, nem tudo são flores, por trás de toda essa perseverança existiam muitas inseguranças. Nem todos apoiaram sua decisão de morar fora e nem todos os planos deram certo. Às vezes você planeja algo incrível e vê tudo indo por água abaixo, como se fosse aquelas torres de dominó. E aí é que o seu mundo interior começa a desabar: quando seus planos não dão certo. O desespero vem, a saudade de casa parece que fica mais forte, a carência domina você. Então, você começa a se entregar para a tristeza, começa a ceder pouco a pouco. Primeiro começa a dispensar as amigas, depois começa a não ter vontade nem para sair da cama, deixa de fazer coisas que fazia com facilidade e um grande vazio passa a fazer parte de você. Alguns procuram ajuda diante disso, outros não. Então, escrevo para os que não procuram, seja por medo, seja por falta de dinheiro, seja pelo que for. Não é porque você planejou que vai acontecer tudo exatamente igual ao seu sonho. Deixe que a vida coloque elementos surpresa pelo caminho, deixe que o imprevisível te surpreenda positivamente. Quando a surpresa for negativa, não desanime! Coisas aparentemente ruins servem para nos ensinar alguma coisa. Tente ver o lado bom de tudo o que acontece, comece a questionar se seus problemas são mesmo tão enormes assim para não terem solução. Escreva em um papel possibilidades para lidar com as coisas que te incomodam, mesmo que pareça absurda a solução que você encontrou apenas escreva uma lista sem julgamentos. Se um de seus problemas for a possibilidade de voltar para o Brasil, não encare isso como se fosse o fim de tudo, tente ver de maneira diferente. A pessoa que vai voltar para o Brasil já não é a mesma que foi para o exterior, então nem tudo será da mesma maneira. Talvez você não tenha emprego, talvez tenha que morar um tempo com seus pais, mas tudo é passageiro na vida e cabe a você fazer dessas passagens boas ou ruins. Se os seus problemas tiverem a ver com quem você mora, tente passar um bom tempo fora de casa para conseguir por os pensamentos em ordem. A melhor solução é se mudar? A melhor solução é conversar com a pessoa que mora com você sobre suas atitudes que incomodam? Só você poderá descobrir. Seja qual for o seu problema, só você pode solucionar. E, caso você consiga enxergar de outro ângulo, como alguém de fora enxergaria, talvez as coisas fiquem mais fáceis. Sentimentos são feitos para sentir, não existe sentir errado. Se você sente é porque seu corpo está respondendo aos seus pensamentos. Pare para realmente pensar sobre o que anda passando pela sua cabeça. Você está sendo gentil consigo mesma? Está se sobrecarregando? Está tentando ser mais forte do que é? Seja mais paciente com você, reconheça seus limites e não os encare como um empecilho, mas apenas como parte de quem você é. Vocês todos já são muito corajosos por se arriscarem a viver fora de seu país, da sua cultura. Então, se já conseguiram o ‘pior’, não desistam. No final, valerá a pena.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Sobre ter um propósito (ou não)

June 14, 2018

1/5
Please reload

Posts Recentes

May 2, 2018

April 12, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags